terça-feira, março 9, 2021
Início DESTAQUES Colesterol: Um risco elevado para doenças cardiovasculares

Colesterol: Um risco elevado para doenças cardiovasculares

A  atividade física além de proteger o coração, enrijecer os músculos e aumentar o condicionamento físico, também colabora no controle do colesterol. Enquanto diminui os níveis de LDL – o colesterol ruim – a atividade física ajuda a elevar o HDL – o colesterol bom.

colesterol é um lípido (gordura) produzido pelo fígado a partir de alimentos ricos em gordura, e é necessário para o funcionamento normal do corpo, estando presente nas membranas (camadas externas) de todas as células do organismo.

O organismo utiliza o colesterol para produzir três classes de hormônios, dentre eles hormônios sexuais como a testosterona e a progesterona. O colesterol é o material inicial para a formação de sais biliares, que contribuem para a digestão das gorduras da dieta.

colesterol é um composto gorduroso utilizado para a produção das membranas celulares e de alguns hormônios. Existem diferentes tipos – HDL, LDL e VLDL -, sendo que o organismo fabrica a maior parte do que necessita. Porém, o colesterol também é encontrado em alimentos de origem animal, como ovo, carne e leite.

  • Colesterol total: este valor indica a quantidade total de colesterol no sangue, ou seja, a quantidade de colesterol HDL + LDL + VLDL;
  • Colesterol HDL: é conhecido como o tipo “bom” de colesterol, pois está ligado a uma proteína que o transporta do sangue para o fígado, onde é eliminado nas fezes, caso esteja em excesso;
  • Colesterol LDL: é o popular colesterol “ruim”, que está ligado a uma proteína que o transporta do fígado para as células e veias, onde acaba se acumulando e pode causar problemas cardiovasculares.
  • Dessa forma, se o colesterol total estiver elevado, mas os níveis de colesterol HDL forem superiores aos valores de referência recomendados, normalmente não indica grande risco de doenças, já que o excesso de colesterol será eliminado pelo fígado. Porém, se o colesterol total estiver alto, mas isso acontecer por presença de um valor de LDL superior aos valores de referência, o colesterol em excesso será armazenado nas células e veias, em vez de ser eliminado, aumentando o risco de problemas cardiovasculares.
  • De forma resumida, quanto maior o valor de HDL e menor o valor de LDL, menor será o risco de ter um problema cardiovascular.
  • O colesterol HDL é conhecido como o colesterol “bom”, por isso é o único que deve ser mantido alto na corrente sanguínea. Ele é produzido pelo organismo, sendo fundamental para o bom funcionamento do corpo, por isso é bom tê-lo sempre acima de 40 mg/dl, sendo que o ideal é que esteja acima de 60 mg/dl.
Colesterol HDL (bom) Baixo: 

 

inferior a 40 mg/dl

Bom:

 

acima de 40 mg/dl

Ideal:

 

acima de 60 mg/dl

  • Como aumentar o HDL: para aumentar os níveis de colesterol HDL deve-se ter uma dieta variada e saudável e praticar exercício físico regular. Além disso, também é importante evitar fatores de risco como fumar ou consumir bebidas alcoólicas em excesso.
  • O colesterol LDL é o colesterol “ruim”. Ele é considerado alto quando é igual ou superior a 130 mg/dL para a maioria das pessoas, entretanto, em alguns casos, são necessários controles mais rígidos, especialmente se a pessoa já teve um problema cardiovascular no passado ou se tem algum outro fator de risco como ser fumante, ter excesso de peso ou não praticar exercício físico.
  • Quando o nível de colesterol LDL está alto começa a haver deposição de gordura nas paredes dos vasos sanguíneos, formando placas de gordura que, com o tempo, podem dificultar a passagem do sangue e levar a um ataque cardíaco ou AVC, por exemplo.
  • Como diminuir  o LDL: para diminuir o colesterol LDL no sangue deve-se seguir uma dieta pobre em açúcar e em gordura e praticar alguma atividade física pelo menos 3 vezes por semana. No entanto, quando estas atitudes sozinhas não são suficientes, o médico pode recomendar o uso de medicamentos para redução dos seus níveis.
  • Valores máximos recomendados de colesterol LDL
  • O valor de LDL deve ser sempre o menor possível e é por esse motivo que, para a população em geral, o LDL deve ser mantido abaixo de 130 mg/dl. No entanto, pessoas que têm um risco alto de ter um problema cardiovascular beneficiam de ter níveis ainda menores de LDL.
  • Assim, os valores máximos para o LDL variam de acordo com o risco cardiovascular de cada pessoa:

RISCO CARDIOVASCULAR

VALOR MÁXIMO RECOMEDADO DE COLESTEROL LDL

Até 130 mg/dlRisco cardiovascular baixo – Pessoas jovens, sem doenças ou com hipertensão bem controlada, com LDL entre 70 e 189 mg/dl.

Até 100 mg/dl Risco cardiovascular intermediário – Pessoas com 1 ou 2 fatores de risco, como tabagismo, pressão alta, obesidade, arritmia controlada,  ou diabetes que seja inicial, leve e bem controlado, dentre outros.

Até 70 mg/dl- Risco cardiovascular alto- Pessoas com placas de colesterol nos vasos vistas pelo ultrassom, aneurisma de aorta abdominal, doença renal crônica, com LDL > 190mg/dl, diabetes há mais de 10 anos ou com múltiplos fatores de risco, dentre outros.

Até 50 mg/dl – Risco cardiovascular muito alto- Pessoas com angina, infarto, AVC ou outro tipo de obstrução arterial por placas de aterosclerose, ou com qualquer obstrução arterial grave observado no exame, dentre outros.

  • O risco cardiovascular deve ser determinado pelo cardiologista durante a consulta após observação dos exames necessários e da avaliação clínica. Normalmente, pessoas com um estilo de vida sedentário, que não fazem uma alimentação adequada, que têm excesso de peso e que têm outros fatores de risco como fumar ou beber álcool, têm um risco cardiovascular alto e, por isso, devem ter um LDL baixo.

 O colesterol total é a soma do HDL, LDL e do VLDL. Ter o colesterol total alto representa um risco elevado de doenças cardiovasculares e, por isso, seus valores não devem ultrapassar os 190 mg/dl.

O colesterol total acima de 190 é menos preocupante se os valores de LDL estiverem normais, mas a pessoa deverá tomar cuidados, como reduzir a ingestão de alimentos ricos em gordura para evitar que o colesterol fique muito alto e seja prejudicial à saúde. Uma boa dica é reduzir o consumo de carnes vermelhas. 

Fatores que aumentam o nível do colesterol ruim no sangue

A princípio o colesterol ruim não apresenta sintomas, mas se você tem uma vida desregrada, com pouca atividade física, uma dieta rica em carboidratos refinados e gordura e o consumo excessivo de álcool é melhor procurar um médico e fazer exames específicos, porque você tem grandes chances de apresentar ou vir a ter o LDL acima da normalidade.

Fatores que contribuem para alto nível de colesterol ruim no sangue:

  • Alimentação inadequada;
  • Excesso de álcool;
  • Cirrose;
  • Tendência genética ou hereditária;
  • Hipotireoidismo ou Hipertiroidismo;
  • Insuficiência Renal;
  • Uso de anabolizantes;
  • Obesidade;
  • Sedentarismo

Fatores que aumentam o risco de doenças coronarianas:

  • Colesterol Alto;
  • Fumo;
  • Obesidade;
  • Diabetes;
  • Pressão Alta;
  • Idade (homens acima de 45 anos e mulheres com mais 55 anos);
  • Histórico Familiar.

Baixar os triglicerídeos altos

Os triglicerídeos são um tipo de gordura presente no sangue, que quando está acima de 150 ml/dL em jejum, aumenta o risco de ter várias complicações sérias, como doenças cardíacas, infarto ou AVC, principalmente se o valor de colesterol também estiver elevado.

A principal forma de baixar os triglicerídeos passa por perder peso e adotar um estilo de vida saudável, praticando exercício físico regular e mantendo uma alimentação saudável.

O consumo aumentado de fibras ajuda a diminuir a absorção de gordura e açúcar no intestino, ajudando a reduzir os níveis altos de triglicerídeos.

Alguns alimentos inimigos do coração e que aumenta o colesterol no sangue:

  1. Margarina (gordura trans): muito utilizada em produtos industrializados como nuggets, sorvetes, bolachas recheadas e requeijão cremoso. Evite usá-las na preparação de alguns pratos;
  2. Frituras: cheias de óleo e gordura, esses alimentos são uma bomba relógio para o organismo, tais como: batatas fritas, pastel, coxinhas e salgados em geral, bolinhos;
  3. Produtos processados como bacon, linguiça, salsicha, mortadela e salame, além de gordurosos são ricos em sódio;
  4. Carnes como miúdos, pele de frango, pernil, carnes gordas como picanha e costela;
  5. Queijos amarelos como: mussarela, prato, parmesão e cheddar;
  6. Leite integral, manteiga e creme de leite;

 

 

 

Most Popular

Recent Comments