quinta-feira, fevereiro 25, 2021
Início DESTAQUES Exames indicados para cada faixa etária no início do ano esportivo

Exames indicados para cada faixa etária no início do ano esportivo

     Por Nabil Ghorayeb: Doutor em Cardiologia pela FMUSP, chefe da seção CardioEsporte do Instituto Dante Pazzanese Cardiologia, Prêmio Jabuti de Literatura, Ciência e Saúde

      Muitos esportistas nos perguntam quais exames se deve fazer no início do ano esportivo. Vamos explicar as Diretrizes Brasileiras em Cardiologia do Esporte para avaliação cardiovascular, atualizadas este ano e disponíveis gratuitamente na internet. Importante ressaltar: quando for fazer o teste ergométrico e tiver duas ou mais esteiras com apenas um único médico no local (ou ainda, o que é incrível e ilegal, sem médico e com apenas um técnico) para acompanhar o exame, alertamos que isso é proibido pelo Conselho Federal de Medicina e recomendamos que pegue suas roupas e caia fora desse lugar. Afinal, existem dezenas de laboratórios de qualidade, que seguem as normas de segurança da lei, que exige um médico por paciente. Imaginem se dois esportistas passem mal ao mesmo tempo, quem o médico escolhe para atender?

O teste ergométrico deve ser feito por todo esportista de mais de 40 anos e, a critério médico, mesmo os mais jovens podem precisar realizá-lo — Foto: Getty Images

Mas vamos aos exames:

  1. Entre os 18 e os 40 anos
    Orienta-se que no mínimo uma consulta especializada e um eletrocardiograma são indicados para um jovem atleta fazer.
  2. Acima dos 40 anos
    Na faixa etária acima dos 40 anos, ou quem tenha idade menor mas que pretenda praticar uma modalidade de alta intensidade e alta dificuldade, como corridas de longa distância, triatlo e outros esportes radicais, deve-se incluir o Teste Ergométrico ou o Teste Cardiopulmonar, feito obrigatoriamente com médico no local, até o esportista atingir a exaustão e com período de recuperação pós-teste de no mínimo seis minutos. Esses parâmetros devem ser escritos no pedido médico, porque farão a diferença na qualidade e acerto no prognóstico de uma prática esportiva.
  3. Crianças e adolescentes
    Para crianças e adolescentes até os 18 anos não federados, a consulta especializada e o eletrocardiograma são suficientes. Porém, se esses garotos participam de campeonatos intercolegiais, praticamente funciona como se fossem equipes federadas, e nesse caso recomenda-se o teste ergométrico nas condições técnicas acima descritas. Convém lembrar que o médico de confiança que examina o esportista tem o direito médico e ético de pedir outros exames, se assim achar necessário, mesmo que isso não conste da Diretriz.
  4. Pessoas com doenças crônicas
    Os esportistas com doenças crônicas, mesmo controladas, principalmente pessoas com mais de 40 anos, seguem outro protocolo mais detalhado, além do obrigatório teste ergométrico ou cardiopulmonar: consulta especializada, eletrocardiograma em repouso, exames de laboratório para avaliar o índice glicêmico, as funções dos rins e do fígado (incluindo pesquisa de hepatites, principalmente nos tatuados), níveis das gorduras e ecocardiograma com doppler. Na dúvida sobre a quantidade de exames pedidos, sempre procure seu médico de confiança e troque uma ideia com ele.

Most Popular

Recent Comments