sábado, novembro 27, 2021
Início DESTAQUES Intolerância à lactose: o que é, quais os sintomas e como lidar

Intolerância à lactose: o que é, quais os sintomas e como lidar

Embora seja muito comum, muitas vezes é difícil identificar essa condição, que é muito frequente entre a população mundial

    A intolerância à lactose ou hipolactasia é uma condição muito comum que afeta mais da metade da população. No entanto, muitos ainda não sabem o que ela significa e têm dificuldades em entender a causa dos sintomas.

Você já sentiu algum desconforto após ingerir leite ou produtos derivados? Estima-se que aproximadamente 70% da população mundial manifesta sinais e sintomas de má digestão da lactose. Mas o que isso significa? E como lidar com essa condição?

Neste artigo, vamos esclarecer dúvidas sobre essa condição, além de explicar como é feito seu diagnóstico e o tratamento ideal. Descubra também formas de substituir o leite em sua rotina de alimentação.

O que é lactose?

A lactose nada mais é do que o açúcar predominante do leite (representando cerca de 2% a 8% de sua composição, a depender da espécie). Ela também é encontrada nos derivados lácteos.

É utilizada pelos organismos como fonte de energia para o desenvolvimento do sistema nervoso central, facilitando a absorção de cálcio, fósforo e vitamina D, além de favorecer a retenção de cálcio e prevenir a osteoporose.

O que é a intolerância à lactose?

Toda vez que se consome um copo de leite ou algum de seus derivados, como manteiga, queijo, iogurte, coalhada, creme de leite, leite condensado, entre outros, a lactose necessita ser quebrada em carboidratos mais simples (glicose e galactose). Só assim há uma melhor absorção a nível intestinal e, com isso, a geração de energia.

A responsável por esse processo é a enzima lactase. É por meio dela que a lactose é quebrada.

Na maioria das pessoas, a atividade da enzima lactase diminui após o desmame, uma vez que o leite passa a não ser mais a principal fonte de energia e nutrientes da dieta. É isso que as torna menos tolerantes à lactose com o passar dos anos.

Por isso, em casos em que ocorre a deficiência ou ausência da lactase na mucosa do intestino delgado, acontece a má digestão desse dissacarídeo (lactose) e a consequente intolerância, que é a incapacidade de digerir a lactose.

Quais os sintomas da intolerância à lactose?

Os sintomas ocasionados pela intolerância à lactose podem ocorrer em minutos ou horas após o consumo do leite e seus derivados. São eles:

  • náusea e vômitos;
  • diarreia;
  • cólicas;
  • gases, barriga estufada, desconfortos abdominais.

A severidade dos sintomas depende da quantidade de lactose consumida e da tolerância de cada um.

Tipos de intolerância à lactose

Essa condição se desenvolve de três formas diferentes:

Primária ou congênita

É um distúrbio raro permanente, presumivelmente transmitido por herança genética. Ela é caracterizada pela ausência de lactase no nascimento. Nesses casos, a condição se manifesta com diarreia logo após o nascimento, que cessa com a retirada da lactose da dieta.

Deficiência secundária de lactase

É resultante de condições/doenças que alteram a mucosa intestinal. Ela é reversível, contanto que a doença que a originou seja curada. É frequente em pacientes com diarreia persistente ou crônica. Podem ser decorrentes de um crescimento bacteriano, parasitoses, ressecção do intestino delgado, ingestão crônica de álcool e fibrose cística.

Primária do tipo adulto

Considerada característica normal da espécie humana. Condição caracterizada por um declínio da atividade da lactase, na qual ocorre uma alta atividade no nascimento para uma baixa atividade residual durante a vida adulta. Algumas pessoas após muito tempo sem tomar leite perdem a capacidade de produzir essa enzima.

Qual a diferença entre alergia e intolerância?

Além da intolerância à lactose, há pessoas que apresentam alergia ao leite. Essas duas condições são bastante diferentes uma da outra. Pessoas que apresentam alergia ao leite, devem procurar leites específicos que são fabricados a partir de um processo diferente.

Nesses casos, são acrescentadas enzimas para quebrar as proteínas (e não a lactose), produzindo, assim, o leite hipoalergênico (HA). Se uma pessoa possui alergia à proteína do leite, não adianta ela tomar um leite zero lactose, pois continuará com problemas. A lactose é um açúcar do leite e a pessoa é alérgica à proteína do leite.

Como é feito o diagnóstico?

Caso você esteja com suspeita de intolerância, procure um gastroenterologista. Existem alguns fatores que podem desencadear um quadro e funcionam também como parâmetros para um diagnóstico, como transtornos de ansiedade e histórico de doenças no trato gastrointestinal.

Segundo o especialista Dr. Aderbal Sabrá, cerca de 70% da população mundial carrega algum nível de intolerância devido a heranças genéticas. Isso porque são descendentes de povos que não tinham o costume de consumir lactose após a amamentação.

Os 30% que não carregam essa condição seriam, principalmente, os descendentes de anglo-saxões. Para saber mais sobre este e outros assuntos relacionados ao tema, leia aqui nossa entrevista completa e exclusiva com o especialista.

Os métodos de diagnóstico mais comuns no Brasil para averiguar uma suspeita são o teste de tolerância à lactose e o teste do hidrogênio.

 

fonte: proteste.org.br

Most Popular

Recent Comments